Fratura por stress na Tibia na ressonância magnéticaO osso é constituído de células regeneradoras de osso(osteoblastos ) e células degradadoras de osso(osteoclastos) , estes dois tipos de células agem concomitante fazendo a remodelação óssea.  E com isso o osso suporta cargas sofrendo pequenas deformidades elásticas para evitar fissura. Quando corremos ou fazemos uma atividade intensa e repetitiva forçamos ao extremo a remodelação do osso ao ponto que ela não consegue se remodelar promovendo micro fissuras ou fraturas por stress. São muito comuns em corredores, triatletas, jogadores de futebol profissional e saltadores.
Para se ter uma idéia da carga que nossos ossos suportam, na região dos quadris, por exemplo, caminhar produz uma carga 2,75 vezes o peso do corpo,  correr produz 5 vezes e saltar supera 10 vezes o peso do corpo. Os ossos não suportam essas cargas sozinhos, já que elas também se dissipam em outras estruturas, como músculos, tendões e ligamentos, que para tal devem estar em condições adequadas.

A recuperação do osso é possível apenas se as cargas aplicadas sobre ele não forem intensas demais, se a repetição/freqüência não for excessiva e principalmente se houver o intervalo necessário nas atividades, para que o tecido ósseo tenha tempo de se recuperar. Por este motivo é importante respeitar os limites dos treinos com aumento gradual das cargas e da freqüência. È muito comum vermos pessoas iniciando a preparação para maratonas há 2 meses do evento, acabam aumentado muito rápido a carga de treinos levando a sobrecarga da regeneração e à fratura por stress. Além disso terrenos irregulares e duros também sobrecarregam os músculos e o tecido ósseo.

Ârea da DorOs locais mais freqüentes de fratura são a tíbia (osso da perna), joelho e pés.

A dor é o principal sintoma, principalmente quando se faz os exercícios e melhora com o repouso. Nestes casos um ortopedista esportivo ou no caso de joelho um especialista em joelho deve ser consultado!! O diagnóstico é feito por exames de imagem como ressonância magnética e cintilografia óssea.

O tratamento é feito com repouso das atividades, em alguns casos é necessário usar um par de muletas e até imobilizadores. Em geral a fratura por stress se consolida entre 4 e 8 semanas dependendo da região e localização.

Fratura por stress na Tibia na cintilografiaUm trabalho multidisciplinar é fundamental para o tratamento completo, havendo casos de necessidade de correções nutricionais e hormonais, entre outros. O tratamento cirúrgico é muito raro.

A recuperação completa de lesões anteriores, a progressão lenta da intensidade da atividade, tênis e locais adequados para a prática esportiva são fundamentais na prevenção da fratura por stress.